sexta-feira, 28 de março de 2008

NO VER O PÔR-DO-SOL


Hoje teve início
o grande processo de perdas...
Perdas vindas
de onde não se imagina
no susto da manhã
No apagar das luzes
quando tudo parece
o que, na verdade não é.

No que se diz.
As senhas do amor
No ver o sol se pôr...
No distante que não existe
Nessa vontade
que se mostra
tola e triste.
No engodo que as palavras criam.

Hoje eu perdi esse amor latente
e achei bom perder
a ilusão desse amor
que julguei ser diferente
mas era igual
à qualquer ordinário
de esquina
que não se compromete com nada
senão com a aventura
e com a vantagem que vai levar....

Hoje não quero mais!
Pronto.
Acabou !
Vou seguir com meu coração
machucado
mas livre
desse pecado
que cometeria com gente inocente....

Melhor assim.
Melhor não olhar para trás
e apenas seguir em frente.

MMartins
Rio 27 de março 2008

Um comentário:

Maura-Girassóis disse...

Olá Miro!!!
É maravilhoso encontrar pessoas assim que gostam de escrever. Sim; somos Poetas loucos e um tanto incompreendidos. Mas isso p´ra mim é maravilhoso! Vou visitar sempre seu blog e sempre deixarei recadinho pra vc. Um beijão gaúcha Maura*