quinta-feira, 3 de abril de 2008

PELAS FRESTAS



Te perdi dentro de mim
e penso
que não quero mais encontrar
Não agora.
Não é hora nem lugar.
Entre o que sabemos
O que queremos
e o que podemos
Existe o que não podemos controlar...

Te perdi
dentro dessa imensa casa escura
que trago dentro do coração,
por um dos quartos
cheios de guardados
exalando teu cheiro ainda pelas frestas
Nessa casa,
o tempo não conta quando havia
risos, desejos, suores e festas...
Agora, só restou poeira
naquilo que perdi
e lugares onde procurar
que na verdade
não sei mesmo, mais encontrar...

Sei que ainda habitas
esses meus escuros
à espreita
esperando a hora certa...
Sei que aquela fresta da porta
ficou aberta.
Sei que, procurando bem
vou te encontrar...

Mas não vou procurar.
Não agora.
Não é hora ,
nem lugar !

MMartins
03/04/2008.

Um comentário:

zinaz28 disse...

"Sei que ainda habitas
esses meus escuros
à espreita"

Conheço esses escuros..qdo a gente vê suas fotos e lê suas palavras, tudo se encaixa.Bjo Zília